• Estou perdido ou (de fato) seguindo minha verdade?
    Por Alenne Namba

     

    Todos os dias ouço histórias de pessoas que deixaram de lado seus sonhos porque não tiveram tempo, energia ou coragem suficientes para prosseguir.

    Ouço também aqueles que estão perdidos, presos numa vida que não lhes traz muito sentido, que não parece estar alinhada com quem de fato eles são. E acabam experimentando sentimentos de ansiedade e confusão.

    Mas como ter uma pista sobre estar ou não seguindo o caminho que é seu de verdade? Como saber se as escolhas que faço hoje estão alinhadas com quem eu sou? Como saber se estou só seguindo uma roda viva ou se estou criando meu próprio caminho?

    Ao iniciar essas reflexões, muitas dessas pessoas acabam se encontrando e retomando seus sonhos. Mas muitas também se deparam com diversas dificuldades e, por conta disso, desistem de vez e arquivam seus desejos de outrora.

    Se você também se sente perdido, se não sabe se suas escolhas estão no caminho certo, talvez esse artigo possa ajudá-lo nessa reflexão.

    psicanalise brasilia taguatinga aguas claras

    Por isso, o que sempre digo para meus pacientes e coachees é: observe seus próprios sentimentos. Eles irão te nortear sobre que caminho faz sentido para você mesmo. Porque uma vez que você começa a perseguir sua verdadeira paixão, você vai se sentir leve, cheio de energia e cheio de orgulho por ter vencido a si mesmo.

    Para você, desejo uma excelente caminhada!

    Leia mais
  • 9 dicas para melhorar sua falta de tempo
    Por Alenne Namba

     

    A falta de tempo é uma reclamação constante. Você é um desses?

    Se sim, pode ocorrer de estar se sentindo estressado, com muitas atividades por fazer, com pouco espaço para relaxar e curtir a vida como gostaria.

    Mas existem diversas formas de organizar seu dia e utilizar o tempo a seu favor. São truques simples, mas que irão tornar sua rotina mais eficaz e mais leve.

    Você só precisa se decidir pelo que funciona melhor para você. Abaixo você encontrará algumas estratégias que pode ajudá-lo.

     

    1. Delegue

    Você sabe delegar? Se não, está na hora de aprender.

    Delegar é o primeiro truque para fazer seu tempo render. Eu sei que é muito comum nós assumirmos mais tarefas do que nossas 24h do dia comportam, mas é justamente isso que irá te gerar estresse e cansaço.

    Delegar não é se eximir de suas responsabilidades, mas sim priorizar aquilo que só pode ser feito por você. As demais tarefas podem e devem ser distribuídas para familiares ou funcionários, de acordo com suas habilidades e capacidades.

    Isso não só resultará em mais tempo, como fará com que você enxergue o potencial daquela pessoa para quem você delegou.

     

    2. Priorize

    Sugestão: na sexta-feira à noite, planeje sua próxima semana. Dia por dia. Faça uma lista de tarefas que precisam de sua atenção imediata. Algumas dessas tarefas precisam de mais tempo para serem finalizadas, outras são rápidas para se concluírem. Separe-as pelos dias da semana de acordo com suas prioridades.

    É importante estar atento para não encher um dos dias da semana e deixar o outro livre. Organize-se para distribuir essas atividades, de modo a conseguir concluí-las nas 24h do seu dia. Algumas tarefas precisam ser concluídas no mesmo dia enquanto outras de menor importância podem ser transportadas para o dia seguinte.

     

    3. Faça agora

    A procrastinação é uma das maiores ciladas nas quais você pode cair. E, pior, é você quem arma para cima de si mesmo.

    Isso pode resultar não só em perda de tempo essencial (lembre-se: você só tem 24h por dia!), como em energia. E acredito que você não deve estar esbanjando energia por aí…

    A procrastinação é um mal que pode afetar tanto sua vida pessoal como sua vida profissional. É importante estar atenta a ela. Por isso, se você seguiu o passo anterior, respeite sua lista e faça agora o que tem de ser feito.

     

    4. Planeje-se

    Lembra de sua lista de tarefas do passo 2? Pois é, leve-a com você. Você pode anotá-la num papel ou num bloquinho, numa agenda física ou na agenda do celular. Isso quem vai decidir é você. O importante é que seja efetivo e funcione.

    Certifique-se de que aquilo que você planejou para o dia, semana ou mês é atingível, caso contrário, estará sempre com a sensação de perda de tempo e frustração.

     

    5. Diga não

    Evite o estresse e diga não. Evite aceitar mais trabalho do que seu dia comporta. O resultado de se sobrecarregar pode ser um corpo cansado, uma mente dispersa, uma vida caótica.

    Além disso, é importante guardar alguns minutinhos do dia para rever suas prioridades na sua lista de tarefas e, mais importante ainda, guardar uns minutinhos para apenas relaxar e fazer algo que lhe satisfaça.

    Baixe o ebook Aprenda a dizer não

     

    6. Defina prazos

    Sem prazo não há gestão do tempo.

    De novo: lembra de sua lista diária ou semanal de tarefas? Pois é, na frente de cada atividade, defina um prazo de tempo para finalizá-la. Quantas vezes já atendi coachees que entupiam sua segunda-feira de atividades sem se dar conta de que o dia só tinha 24 horas!

    É importante definir prazos para você perceber concretamente quanto tempo lhe resta no dia para encaixar tudo o que quer encaixar. Então defina um prazo realista e cumpra-o, para não atrasar as demais atividades do dia.

     

    7. Concentre-se

    A maioria de nós aprendeu que a multitarefa é uma forma eficiente de fazer as coisas, mas a verdade é que fazemos melhor quando nos concentramos em algo.

    Então se você quer fazer algo bem feito, faça somente aquilo e concentradamente. Foque. A multitarefa pode prejudicar sua produtividade e, consequentemente, o resultado de sua atividade. Além disso, pode atrapalhar seu planejamento, pois, se errar, terá de voltar e fazer tudo de novo.

     

    8. Levante cedo

    Eu sei, eu também gosto de dormir. Não, eu amo dormir. E sei que você também pode adorar ficar agarrado à sua caminha quentinha. Mas se você quer fazer algo de sua vida, então tem de começar o dia cedo.

    É claro que isso irá variar de pessoa para pessoa e só você pode dizer o que é sustentável para sua rotina. Mas dou aqui uma sugestão: para não ficar com sono o dia todo, tente dormir meia hora mais cedo. Desligue o celular e a tv, leia um livro, faça uma meditação, vá criando sua rotina de relaxamento antes de dormir. Assim, você acordará muito mais descansado e pronto para colocar sua lista de tarefas em prática com toda a energia do mundo.

     

    9. Faça pausas

    Se sua rotina permitir, faça algumas pausas de 5 ou 10 minutos. Mas não as jogue fora desperdiçando-as com os ladrões do tempo (redes sociais, navegação dispersa na internet, telefonemas infindáveis…). Use esse tempo para relaxar, refletir, demonstrar seu amor a alguém, escrever uma ideia que teve ao longo do dia, caminhar, regar sua plantinha, afagar seu pet, ouvir sua música preferida… Enfim, use esse tempo com algo importante e que irá fazer você se sentir melhor. Se usar com os ladrões do tempo, você acabará se sentindo culpado e o resultado será o oposto do que estou te propondo aqui.

    Por fim, para você saber se está gerindo bem seu tempo, clique aqui e faça o teste que preparei para você.

    O resultado pode ser surpreendente!

    Leia mais
  • Qual a diferença entre Psicanálise e Psicoterapia?
    Por Alenne Namba

     

    “A Psicanálise é a cura pela fala.”

    (Freud – Pai da Psicanálise)

     

    A Psicoterapia é um termo bastante genérico. Assistentes sociais, conselheiros, psicólogos e psiquiatras podem se autodenominar terapeutas.

    A Psicanálise é mais do que uma formação, é uma experiência. Ninguém pode se chamar de Psicanalista se não tiver feito sua própria análise, segundo o tripé freudiano (teoria, prática clínica, análise própria).

    Mas o mesmo nem sempre é verdade em Psicoterapia. Nem todo terapeuta passa ou passou por uma terapia.

    Antes que existisse Psicoterapia já existia a Psicanálise. Freud “inventou” o método psicanalítico, ou a “cura pela fala”, junto com seu amigo e mentor Josef Breuer, um psiquiatra vienense, que trabalhou com a histeria feminina (um termo antigo para o que hoje é classificado como transtorno de conversão).

    Seu primeiro trabalho foi com a paciente Anna O. (pseudônimo para Bertha Pappenheim). Breuer descobriu que depois que ela foi capaz de falar sobre a origem de seus sintomas, eles desapareceram. Por isso a Psicanálise é batizada como a “cura pela fala”.

     

    Qual a grande diferença entre a Psicanálise e a Psicoterapia?

    De fato, muitas práticas psicoterapêuticas utilizam a fala como combustível de cura. Então qual seria a real diferença entre elas?

    Primeiro, a Psicoterapia lida com o que chamamos de Ego (Eu) ou a instância ativa com a qual você toma decisões diariamente. Já a Psicanálise lida com o Inconsciente, ou seja, as experiências que estão além da linguagem, além da consciência. É aquela parte em nós onde abrigamos o que foi reprimido (pela educação, pela cultura, pelas normas sociais, pelos traumas vividos).

    Assista Divertida Mente e você visualizará melhor o que estou falando.

    Em segundo lugar, os objetivos da Psicanálise e da Psicoterapia também são diferentes. Psicoterapia tenta restaurar a relação das pessoas com as normas e regulamentos sociais, enquanto a Psicanálise trabalha para restaurar o relacionamento da pessoa com ela mesma. A Psicoterapia trabalha para fortalecer o Ego, enquanto a Psicanálise trabalha para fortalecer a relação do sujeito com seu próprio inconsciente.

     

    Psicoterapeutas e Psicanalistas agem de forma diferente durante o tratamento

    Psicoterapeutas podem influenciar sua tomada de decisão, ensinar estratégias de enfrentamento, comportamentos ou de mudança, a fim de modificar a forma como o paciente se relacionar com os outros.

    O psicanalista ajuda o paciente a reorganizar a maneira como ele se relaciona consigo mesmo, com seu próprio corpo, com suas qualidades e defeitos. As mudanças que ocorrerão no relacionamento do paciente com os demais é secundário e, normalmente, é reflexo do objetivo primeiro. Leia mais sobre isso aqui.

    De todo modo, não importa qual seja sua escolha, o importante é que você seja acompanhado por um profissional habilitado para tal. Do contrário os riscos podem ser grandes. Leia mais neste artigo que escrevi sobre o assunto.

    Para ajudá-lo a entender melhor essas diferenças, preparei este infográfico para você. Compartilhe com seus amigos.

     

    infografico_psicanalise_psicoterapia

    Leia mais