• 9 dicas para melhorar sua falta de tempo
    Por Alenne Namba

     

    A falta de tempo é uma reclamação constante. Você é um desses?

    Se sim, pode ocorrer de estar se sentindo estressado, com muitas atividades por fazer, com pouco espaço para relaxar e curtir a vida como gostaria.

    Mas existem diversas formas de organizar seu dia e utilizar o tempo a seu favor. São truques simples, mas que irão tornar sua rotina mais eficaz e mais leve.

    Você só precisa se decidir pelo que funciona melhor para você. Abaixo você encontrará algumas estratégias que pode ajudá-lo.

     

    1. Delegue

    Você sabe delegar? Se não, está na hora de aprender.

    Delegar é o primeiro truque para fazer seu tempo render. Eu sei que é muito comum nós assumirmos mais tarefas do que nossas 24h do dia comportam, mas é justamente isso que irá te gerar estresse e cansaço.

    Delegar não é se eximir de suas responsabilidades, mas sim priorizar aquilo que só pode ser feito por você. As demais tarefas podem e devem ser distribuídas para familiares ou funcionários, de acordo com suas habilidades e capacidades.

    Isso não só resultará em mais tempo, como fará com que você enxergue o potencial daquela pessoa para quem você delegou.

     

    2. Priorize

    Sugestão: na sexta-feira à noite, planeje sua próxima semana. Dia por dia. Faça uma lista de tarefas que precisam de sua atenção imediata. Algumas dessas tarefas precisam de mais tempo para serem finalizadas, outras são rápidas para se concluírem. Separe-as pelos dias da semana de acordo com suas prioridades.

    É importante estar atento para não encher um dos dias da semana e deixar o outro livre. Organize-se para distribuir essas atividades, de modo a conseguir concluí-las nas 24h do seu dia. Algumas tarefas precisam ser concluídas no mesmo dia enquanto outras de menor importância podem ser transportadas para o dia seguinte.

     

    3. Faça agora

    A procrastinação é uma das maiores ciladas nas quais você pode cair. E, pior, é você quem arma para cima de si mesmo.

    Isso pode resultar não só em perda de tempo essencial (lembre-se: você só tem 24h por dia!), como em energia. E acredito que você não deve estar esbanjando energia por aí…

    A procrastinação é um mal que pode afetar tanto sua vida pessoal como sua vida profissional. É importante estar atenta a ela. Por isso, se você seguiu o passo anterior, respeite sua lista e faça agora o que tem de ser feito.

     

    4. Planeje-se

    Lembra de sua lista de tarefas do passo 2? Pois é, leve-a com você. Você pode anotá-la num papel ou num bloquinho, numa agenda física ou na agenda do celular. Isso quem vai decidir é você. O importante é que seja efetivo e funcione.

    Certifique-se de que aquilo que você planejou para o dia, semana ou mês é atingível, caso contrário, estará sempre com a sensação de perda de tempo e frustração.

     

    5. Diga não

    Evite o estresse e diga não. Evite aceitar mais trabalho do que seu dia comporta. O resultado de se sobrecarregar pode ser um corpo cansado, uma mente dispersa, uma vida caótica.

    Além disso, é importante guardar alguns minutinhos do dia para rever suas prioridades na sua lista de tarefas e, mais importante ainda, guardar uns minutinhos para apenas relaxar e fazer algo que lhe satisfaça.

    Baixe o ebook Aprenda a dizer não

     

    6. Defina prazos

    Sem prazo não há gestão do tempo.

    De novo: lembra de sua lista diária ou semanal de tarefas? Pois é, na frente de cada atividade, defina um prazo de tempo para finalizá-la. Quantas vezes já atendi coachees que entupiam sua segunda-feira de atividades sem se dar conta de que o dia só tinha 24 horas!

    É importante definir prazos para você perceber concretamente quanto tempo lhe resta no dia para encaixar tudo o que quer encaixar. Então defina um prazo realista e cumpra-o, para não atrasar as demais atividades do dia.

     

    7. Concentre-se

    A maioria de nós aprendeu que a multitarefa é uma forma eficiente de fazer as coisas, mas a verdade é que fazemos melhor quando nos concentramos em algo.

    Então se você quer fazer algo bem feito, faça somente aquilo e concentradamente. Foque. A multitarefa pode prejudicar sua produtividade e, consequentemente, o resultado de sua atividade. Além disso, pode atrapalhar seu planejamento, pois, se errar, terá de voltar e fazer tudo de novo.

     

    8. Levante cedo

    Eu sei, eu também gosto de dormir. Não, eu amo dormir. E sei que você também pode adorar ficar agarrado à sua caminha quentinha. Mas se você quer fazer algo de sua vida, então tem de começar o dia cedo.

    É claro que isso irá variar de pessoa para pessoa e só você pode dizer o que é sustentável para sua rotina. Mas dou aqui uma sugestão: para não ficar com sono o dia todo, tente dormir meia hora mais cedo. Desligue o celular e a tv, leia um livro, faça uma meditação, vá criando sua rotina de relaxamento antes de dormir. Assim, você acordará muito mais descansado e pronto para colocar sua lista de tarefas em prática com toda a energia do mundo.

     

    9. Faça pausas

    Se sua rotina permitir, faça algumas pausas de 5 ou 10 minutos. Mas não as jogue fora desperdiçando-as com os ladrões do tempo (redes sociais, navegação dispersa na internet, telefonemas infindáveis…). Use esse tempo para relaxar, refletir, demonstrar seu amor a alguém, escrever uma ideia que teve ao longo do dia, caminhar, regar sua plantinha, afagar seu pet, ouvir sua música preferida… Enfim, use esse tempo com algo importante e que irá fazer você se sentir melhor. Se usar com os ladrões do tempo, você acabará se sentindo culpado e o resultado será o oposto do que estou te propondo aqui.

    Por fim, para você saber se está gerindo bem seu tempo, clique aqui e faça o teste que preparei para você.

    O resultado pode ser surpreendente!

    Leia mais
  • 4 lições que aprendi com a corrida
    Por Alenne Namba

     

    Já há algum tempo gostaria de escrever sobre os milagres que a corrida pode nos ensinar. Digo milagres, porque são pequenos sentimentos, pequenas atitudes que esse movimento tão simples acaba por nos mostrar na nossa rotina de corredor.

    Dizem que aqueles que foram picados pelo bichinho da corrida nunca mais deixam de ser corredores. Eu concordo. Corro há 5 anos. Foi aí que o bichinho me picou. Nesse tempo, larguei a corrida por outros 2 anos, mas louca para voltar a calçar os tênis e sentir o vento no rosto novamente. E neste ano finalmente voltei.

    O bom desse intervalo sem correr foi que aprendi a valorizar ainda mais a corrida e por isso decidi compartilhar esse aprendizado com vocês. Mas o meu verdadeiro intuito aqui é que você perceba como essas lições podem ser aplicadas em qualquer área da sua vida, não só na sua saúde física, mas mental, emocional e também espiritual. Vamos lá:

    Lição nº 1
    É difícil começar (e recomeçar)

    Claro que todo início é difícil. Aposto que foi difícil para você nascer (posso apostar que você chorou…). Foi difícil começar a andar, foi difícil aprender a andar de bicicleta, foi difícil sua primeira vez, foi difícil se ambientar no primeiro emprego. A lista é longa. Assim como para quem vai começar (ou recomeçar como foi meu caso) a correr, você vai precisar investir muita vontade, muita energia. E nesse início, certamente você também irá querer desistir. E serão muitas as justificativas “perfeitas” para que você desista.

    Confesso que não amo correr. Verdade, não amo correr. Mas amo as provas de rua. Simplesmente sou louca pela energia da largada e da chegada. E também adoro ver e sentir a diversidade de gente de todo tipo durante o percurso. Jovens, idosos, altos, baixos, magros, altos. O corredor não tem rosto. É um esporte super democrático e adoro ver isso nas provas.

    Então, para ir bem nas provas, eu tenho de treinar. Daí você pode imaginar o quanto é difícil afastar dos meus pensamentos todas as justificativas “perfeitas” que desenvolvi para não correr. Está chovendo, está muito quente, estou com sono, estou com preguiça, estou na TPM, prefiro dar uma saidinha com o marido, quero descansar, estou mal-humorada, quero comemorar, enfim, a lista poderia ser gigantesca.

    Mas para quem está começando (ou recomeçando) a maior justificativa é: ainda estou muito mal, não consigo fazer isso tão bem como os outros, não consigo fazer tão bem como já fiz anteriormente, estou fora de forma. Mas fato é que se você persistir e não der ouvidos às suas justificativas “perfeitas”, você perceberá que dia a dia, passo a passo, ação a ação, hábito a hábito, você estará melhor e continuará ficando melhor. Não tem milagre. Persista e você continuará melhorando, seja na corrida, seja em qualquer coisa que você se propuser a fazer.

    Neste ano fiz minha primeira prova depois de dois anos parada, totalmente sedentária. Fiz uma prova de 5km. Para quem já havia corrido 21km, deveria parecer fácil, não é? Nada disso. Foi muito difícil. Mas eu tinha treinado e sabia que conseguiria. Foi um passo após o outro, dores no decorrer do percurso, uma subida no final que quase me fez desistir. Mas persisti e consegui cruzar a linha de chegada com a devida sensação de dever muito bem cumprido. Se eu tivesse ouvido minhas justificativas “perfeitas” não estaria contando essa história para você. Foi importante decidir correr treino a treino, construir minha base novamente. Só assim pude determinar o sucesso do retorno às provas que tanto amo fazer.

    Lição nº 2
    Você não está sozinho –mas vai correr sozinho

    Ficou confuso? É por aí…

    Sempre que você começa qualquer movimento na vida, é importante estar cercado de pessoas que te compreendam e te apoiem. Isso pode fazer toda a diferença no seu resultado. Tenho muita sorte em poder contar com meu marido, que é um super corredor. Além dele, faço parte de uma assessoria de corrida, onde encontrei não só amigos, mas uma família. Esse grupo me ajuda a me manter firme em meus objetivos de corrida. E é muito bom poder partilhar com eles as vitórias que eles me apresentam também. É uma verdadeira troca, então não me sinto sozinha.

    Mas…

    Quando preciso levantar da cama, calçar o par de tênis e sair para correr, essa decisão eu tomo sozinha. Quando as dores começam a aparecer e o lactato aparece nos braços, como se eles fossem cair, só eu mesma posso decidir continuar passo após passo. Ninguém vai tomar essa decisão por mim.

    Mesmo quando estou correndo com milhares de pessoas, numa prova, eu também posso me sentir sozinha. Mas isso não é ruim. Isso pode ser muito bom. Porque ali eu posso pensar em mim, focar na minha respiração, nos meus passos, na música que estou ouvindo, nos meus problemas e nas soluções que se apresentam naquele percurso. Posso aproveitar esse tempo sozinha para viver essa experiência íntima, afinal não é todo mundo que consegue se sentir bem e satisfeito com a própria presença. Espero que não seja o seu caso…

    Lição nº 3
    Repita, repita, foque, repita

    A repetição é a chave para dominar a maioria das coisas na vida. Isso não vale só para a corrida, mas para tudo. Você sabe disso. Se você quer se tornar bom em algo, invista seu tempo em desenvolver-se nisso.

    Antes de começar a correr eu vivia repetindo: “Correr? Tá louco! Não consigo correr nem daqui até a esquina!” Pois é, dois anos depois dos meus primeiros passos já estava correndo minhas meia-maratonas. Sair de 100m para 21km não foi fácil. O segredo foi a repetição.

    Mas por mais que a repetição tenha sido importante, é difícil manter-se repetindo sem um objetivo em mente. Este vídeo aqui ilustra muito bem o que estou dizendo. Em nossos treinos temos de estabelecer em cada periodização nossa prova em foco. Vou correr 10km em outubro? Vou correr 21km daqui há 6 meses? É preciso definir seu objetivo para manter-se repetindo, mas focado naquilo que deseja realizar.

    Lição nº 4
    Todo mundo tem seus limites

    É claro que o esforço é necessário. Mas é preciso conhecer seus limites para que você não fique de molho, parado, por ter se esforçado além da conta. Todo esforço tem de ser feito pouco a pouco, estrategicamente. Se você puxa demais num curto espaço de tempo, pode saber, poderá lhe custar todo o seu planejamento. E isso se aplica tanto à corrida, quanto a outras áreas de sua vida.

    Conheço um corredor que decidiu fazer várias provas de trilha, de 21km, uma atrás da outra, em fins de semana seguidos. Ele vinha de umas semanas já de cansaço muscular, de lesões, mas não abriu mão das provas que tanto queria fazer. Dito e feito: quebrou e quebrou feio. Passou algumas semanas de molho com overtraining. E isso pode acontecer com qualquer um.

    Muitas vezes esse esforço exagerado, sem se atentar para os próprios limites são uma forma de se autoboicotar. Afinal, se não der certo, não foi responsabilidade sua, foi porque aconteceu isso ou aquilo. Assim como podemos utilizar nossa justificativas “perfeitas” a nosso desfavor, também podemos utilizar nossas autossabotagens “perfeitas” ao nosso desfavor. É preciso se conhecer para seguir adiante.

    É fato que qualquer um pode correr, mas é certo também que não é fácil, pois requer foco, esforço, repetição. Portanto, não importa o quão rápido você quer ir ou o quão longe, se você tiver um objetivo, amigos para te impulsionar e se você respeitar os próprios limites, não tenha dúvida: nada irá te parar. Somente a linha de chegada.

    Leia mais
  • Como organizar o dia-a-dia?
    Por Alenne Namba

    Você sabe o quanto as habilidades de organização são importantes na vida, nos negócios, no trabalho, em família. Seria sensacional se conseguíssemos nos tornar eficientes em tudo o que fizéssemos. Mas você sabe que isso está bem fora da realidade, né?

    Mas é possível sim adquirir algumas habilidades capazes de te transformar em uma pessoa mais preparada, organizada, confiável em seus prazos e até mesmo pontual (sei que isso é bem difícil para muitas mulheres…).

    Então, como o final do ano está chegando e eu imagino que você queira iniciar 2015 lidando melhor com seu tempo, cuidando da sua rotina e iniciando novos projetos, decidi trazer dicas essenciais para você sobre a organização do seu dia-a-dia.

    1. Qual seu nível de organização?

    Não importa em que nível de organização você se encontra: você pode ser mega organizada ou não ter a menor noção de onde vai encontrar o sapato que usou na última festa. É importante que você saiba como se encontra seu nível de organização. Seja sincera e diga para si mesma onde você se encontra hoje no que diz respeito à arrumação da sua mesa de trabalho, do seu armário, das suas contas, da organização da casa.

    Por onde você quer começar? Talvez você esteja iniciando um novo negócio, talvez precise organizar suas finanças para o ano que vem, talvez precise fazer um balanço da quantidade de roupa que não usa mais. Portanto, faça uma lista de tarefas que tem de organizar.

    2. Encontre ajuda

    Se você puder contar (espontaneamente) com a ajuda de seu marido, esposa, filhos, funcionários, ótimo! Será excelente delegar tarefas para otimizar seu tempo. Mas se envolver a família for mais um motivo para dor de cabeça, faça o que precisa fazer escolhendo aquilo que está ao seu alcance.

    O que não está sob seu controle (por exemplo, a arrumação do armário do seu filho adolescente), deixe para o responsável tomar conta. Saiba desapegar do seu controle. E caso consiga ajuda, mostre sua lista de tarefas e pergunte como cada um pode contribuir mostrar-lhes o seu plano antes de finalizá-lo para que eles possam ter alguma contribuição também.

    3. Faça seu plano funcionar de verdade

    Crie um plano de gerenciamento do tempo começando pelas tarefas menores e mais fáceis da lista que você acabou de fazer, de modo a você se sentir mais confiante em completar tudo mais rapidamente. Começar pelas tarefas maiores e mais difíceis é caminho certo para o desânimo. Feito isso, separe as tarefas por dia da semana.

    Disponibilizo aqui para você a Ferramenta Para Fazer. Ela é muito simples, mas é uma das ferramentas chaves para um processo que tem como objetivo a gestão do tempo. Você precisará de post-its para colar em cada espaço da ferramenta a fim de incluir em cada dia da semana suas tarefas a serem feitas. Lembre-se que seu dia tem apenas 24 horas, portanto tente não sobrecarregá-lo de tarefas para não se frustrar depois.

    Eu sei que organizar tanto a vida pessoal quanto a profissional não é tarefa fácil, mas sei que estas dicas irão ajudá-lo a iniciar seu processo. E se utilizar a ferramenta Para Fazer, estou certa de que não irá desistir. Quando você começar a perceber sua vida em ordem e sua mente menos estressada, volte aqui e me conte como tem sido viver mais leve assim.

    Leia mais