• 15 simples maneiras de melhorar seus relacionamentos no trabalho (e em casa também)

    1. Olhe nos olhos.

    Olhe as pessoas abertamente, calorosamente e diretamente nos olhos.

    2. Use uma linguagem corporal aberta.

    Enquanto conversa com alguém, mantenha o peito aberto, assim como seus braços e seu coração. Exiba um sorriso no rosto. Deixe seus olhos sorrirem, sua voz, seu coração. O sorriso é o primeiro convite para relacionar-se com o outro.

    3. Lembre-se do nome da pessoa.

    Chame as pessoas pelo nome. Isso é importantíssimo! O nome é a primeira palavra que nos define e lembrar-se disso é a melhor forma de mostrar ao outro que se interessa por ele. Por isso, ao cumprimentar, fazer alguma pergunta ou despedir-se, chame o outro pelo nome.

    4. Fale com um tom de voz amigável.

    Nada de querer mostrar que é o sabichão ou que manda no pedaço. Se você quer nutrir bons relacionamentos no trabalho ou em casa, use um tom de voz que propicie essa ligação, fale com amor.

    5. Esteja ali.

    Dê completa atenção quando estiver conversando com alguém. Isso é o mínimo. Não fique fazendo outra coisa, enquanto falam com você. Pare o que estiver fazendo e preste atenção.

    6. Elogie com sinceridade.

    Se gostar de alguma atitude demonstrada pelo outro durante a conversa, não receie em elogiá-lo. Verbalizar o que você gosta facilita que o outro te conheça também. Além de demonstrar que compreende e reconhece o outro.

    7. Seja íntegro.

    Mantenha sua palavra. Faça o que você diz que vai fazer. Viva de acordo com seus valores.

    8. Demonstre empatia.

    Saia de sua própria pele e experimente entrar na pele do outro. Considere seus sentimentos e experiências. Enxergue o mundo também pela visão dele.

    9. Cumprimente antes e depois.

    Faça um esforço para abrir e fechar suas conversas, verbais ou por e-mail, com um cumprimento agradável. Um “tudo bem”, “como vai” fazem milagres e demonstram um mínimo de educação. Não comece uma conversa abruptamente pedindo algo sem ao menos um “olá”. Isso é mais comum do que você imagina… infelizmente.

    10. Seja paciente.

    Se eu pudesse dar somente uma dica, daria esta. Seja paciente, paciente, paciente. A paciência é uma virtude e também é fruto de muito treino. Ela não cai no seu colo. Inspire e expire antes de perdê-la. Não tente apressar as coisas nem as pessoas. Tenha paciência e tudo correrá no tempo certo.

    11. Tenha consciência do que fala.

    Pense antes de falar. Que impacto suas palavras terão perante o outro? Preste atenção às suas expressões faciais, seu tom de voz, sua linguagem corporal. São essas as pistas que dirão se você está indo na direção certa ou não. Se preciso, faça os ajustes necessários. E não tenha medo de pedir desculpas por algo que falou sem pensar.

    12. Seja sincero, mas fale com jeito.

    Existe um abismo enorme entre ser sincero e ser mal educado. A verdade pode sim sempre ser dita, mas com todo o jeitinho, com jogo de cintura. Pense na mensagem que deseja transmitir e escolha bem as palavras. A verdade não precisa ser prejudicial. Como falei na dica anterior, tenha consciência do que fala.

    13. Seja confiável.

    Se você demonstrar comportamentos de uma pessoa confiável, que vive suas responsabilidades e compromissos com competência, essa é a melhor forma de comunicar quem você é. Já sabemos que atitudes valem mais do que palavras. As crianças sabem muito bem disso.

    14. Não julgue.

    Toda vez que alguém cometer um erro, seja paciente e não julgue. Essa é uma ótima oportunidade para que você possa entender os motivos do outro e o porquê de seu comportamento. Esqueça os ressentimentos e tente tirar lições dos erros dos outros também.

    15. Peça desculpas.

    Como falei, somos humanos e ninguém é perfeito. Se os outros erram, você também pode errar. E, da mesma forma que você gostaria que não te julgassem pelos seus erros, os outros também gostariam que você se desculpasse ao cometer um deslize.

    Se você precisar de dicas para se sentir mais autoconfiante, leia também este artigo. Ele também pode te ajudar a relacionar-se melhor consigo e com os outros.

    eBook Detox Mental

    Leia mais
  • 7 dicas para sobreviver ao fim de um relacionamento

    Este artigo faz parte de uma série de Perguntas e Respostas que começarei a postar aqui no site.

    Ele é fruto de perguntas enviadas por pessoas dispostas a tirar comigo suas dúvidas sobre relacionamento.

    Se você também quiser participar e ver aqui sua dúvida solucionada, clique aqui e envie também suas perguntas. Terei o maior prazer em respondê-las.

    Como você já leu no título, iremos falar hoje sobre o Fim do Relacionamento.

    As dúvidas que recebi da brasiliense C.B  foram as seguintes:

    1ª PERGUNTA
    Como encerrar um relacionamento, de forma que o “ponto final” não seja traumático para nenhum dos lados?

    2ª PERGUNTA
    No caso da pessoa que “foi dispensada”, como superar o fim do relacionamento?

    3ª PERGUNTA
    Após o fim de um relacionamento, quais são os passos fundamentais para “virar a página” e iniciar uma nova fase da vida?

     

    Vamos lá, então, à resposta.

    Depois de muitas lágrimas enxugadas, é hora de você refletir e avançar. Nada de viver o luto eternamente como se você não merecesse alguém para dividir com você uma vida feliz.

    A boa notícia é que, na medida em que os dias, horas e minutos passam, mais fácil vai sendo lidar com todos esses sentimentos, caso você decida encará-los de frente. E, para isso, é preciso que você levante a cabeça e assuma a sua responsabilidade pelo que viveu no passado e pelo que deseja viver no futuro.

    1. Chore até suas lágrimas secarem

    2. Encontre algo para direcionar sua energia

    3. Tenha alguém para desabafar

    4. Enxergue além do que se apresenta para você agora

    5. Reconstrua sua vida

    6. Converse com um profissional

    7. Aceite a perda

     

    #1

    Chore até suas lágrimas secarem

    Você se sente magoada e, é claro, que as lágrimas irão rolar. Deixe-as fluir. Não reprima seus sentimentos. Deixe as emoções aflorarem e não esconda nada nem de você mesma nem dos outros.

     

    #2

    Encontre algo para direcionar sua energia

    Faz parte chorar, sofrer, passar pelo luto. Mas isso não significa manter-se nessa toada até o fim. É essencial que você também coloque na sua rotina atividades que possam ocupar outros espaços da sua mente, a fim de ajudá-la a relaxar e a compreender que a vida continua, apesar da experiência ruim. Continue a trabalhar, a fazer suas leituras, a assistir seus filmes preferidos, a caminhar com seu cachorro, a sair com suas amigas. Para que tudo passe, é preciso que você continue a viver.

     

    #3

    Tenha alguém para desabafar

    É para isso que os amigos servem. Um bom ombro de confiança é a melhor forma de dar vazão aos sentimentos negativos. Fale, desabafe, aproveite para colocar tudo para fora do seu coração.

     

    #4

    Enxergue além do que se apresenta para você agora

    Pense em tudo o que é positivo na sua vida. Pense no que você tem agora. Não deixe que essa perda destrua o resto da sua vida também. Você viveu um passado, sofre no presente, mas tem todo um futuro que pode ser maravilhoso. Lembre-se disso.

     

    #5

    Reconstrua sua vida

    Como disse anteriormente, você viveu um passado, mas não é por isso que irá se prender a ele. Quanto mais você se movimentar para frente, mais esse sofrimento ficará no passado. Novas experiências irão substituir aquilo que ainda dói. Mantenha-se ocupado, siga em frente.

     

    #6

    Converse com um profissional

    Se você sente que não está conseguindo lidar com toda essa experiência sozinho, procure um profissional. Você pode contar com um terapeuta, com um coach afetivo, com qualquer profissional que lhe ajude a liberar sua dor. Com certeza é uma forma de receber um conselho mais efetivo e direcionado para aquilo que você procura curar.

     

    #7

    Aceite a perda

    É claro que você se sente triste com o fim do relacionamento. E é totalmente natural e até desejado que você chore e externalize seus sentimentos. Mas lembre-se de deixar o passado no passado. Cada relacionamento vivido por você até hoje foi um aprendizado (ou você tem dúvida disso?).

    Cada experiência afetou positivamente a pessoa que você é hoje. E você viveu na pele que o tempo cura todas as feridas. Basta que você mantenha a mente aberta para que novas experiências aconteçam e que você continue aprendendo com elas.

    Baixe aqui o eBook com esclarecimentos mais completos sobre o tema.

    E para quem já tem um amor, mas quer descobrir como fazer com que este relacionamento seja duradouro e feliz, sugiro que assista aos vídeos que contam o segredo para fazer essa transformação na vida a dois. Vídeo Parte 1 e Parte 2.

    Leia mais
  • É possível viver um relacionamento duradouro e feliz?

    Nesta semana, gravei dois vídeos sobre a possibilidade de se viver um relacionamento duradouro e feliz.

    Resolvi iniciar mais esse projeto abrindo com esse tema tão presente no consultório.

    Será mesmo que existe um caminho para viver um relacionamento saudável, equilibrado, onde você e o outro consigam ser vocês mesmos e, ao mesmo tempo, sentirem-se dispostos o suficiente para doarem-se para essa relação?

    Quer saber minha opinião?

    Não só tenho certeza de que isso é possível, como posso te ajudar a encontrar o caminho.

    Nos vídeos você verá que a ação é mais do que necessária para que qualquer resultado apareça. E a boa notícia é que eu disponibilizo para você um auxílio neste caminho em busca do relacionamento duradouro e feliz.

    Assim que você assistir aos vídeos, poderá baixar gratuitamente uma das ferramentas que utilizo no processo de Coaching Afetivo. Trata-se de uma ferramente simples, mas que traz uma reflexão essencial para os casais. E muitos estão se esquecendo de começar do básico, do simples, que é justamente conhecer o outro.

    Você poderá baixar a ferramenta diretamente por aqui. Mas sugiro que assista aos vídeos para entender o funcionamento da ferramenta.

    Depois que você tiver aproveitado essa experiência junto com o seu marido, sua noiva ou seu namorado, volte aqui e me diga como foi. Ficarei muito feliz de saber se pude participar, de alguma forma, da transformação do seu relacionamento, para melhor.

    Assista aos vídeos:

     

    Leia mais